terça-feira, setembro 07, 2010

Devaneio - 2

Fim de noite na praia, a brisa fria acariciando o rosto no calçadão. Vontade de ler um livro, de ouvir música, de pensar no amanhã e não ver compromissos. A única leitura do dia foi clássica, A Desobediência Civil, de Thoreau. Fez-me rir gostosamente em várias passagens, e me intrigou com algumas outras. Prestes a ir ao cinema, e eu rindo com a aventura prisional de uma noite do excêntrico filósofo de Concord. De certa forma estranha, Thoreau foi melhor companhia que Karate Kid, filme divertido mas incômodo com sua apologia da violência e do jeito machista de medir o valor de alguém pela força. Minhas leituras sobre não-violência têm me levado a desconstruir facilmente certas premissas -- e Karate Kid cai como uma luva nisso. E enquanto torcia pelo menino que protagoniza o remake e me deleitava com a presença bonachona e doce de Jackie Chan, eu não conseguia parar de pensar que, se fosse na vida real, todas aquelas pessoas do torneio final deveriam ser presas por instigar menores de idade a lutar como gladiadores. Suspensão de descrença tem limite, e o da minha está cada vez menor.

O mundo não é grande, é imenso. A cada vez que passo por um lugar movimentado e paro um pouco para ver as pessoas, dou-me mais e mais conta disso. Os diferentes rostos e expressões me lembram que cada um tem uma história própria, um acervo único de experiências... Tudo muito óbvio, mas ao mesmo tempo tão impressionante. Ao fim, a diversidade incomensurável de pessoas e coisas me traz a lembrança o imenso privilégio que é estar vivo. Embora meu quinhão de vida seja minúsculo frente ao conjunto geral, como o de qualquer indíviduo isolado, fico imensamente contente por tê-lo. É uma dádiva estar no mundo e ter tanta gente com quem interagir.

2 comentários:

mayara disse...

Engraçado o comentário sobre a possível realidade do filme.
Concordo com a segunda parte, apesar de ver as pessoas e ver algo de triste nelas, talvez em mim. E por fim isso me deixa um pouco para baixo.
Considere o comentário como pazes sobre um antigo post. Gosto do que escreve. Mas se puder me dizer como posso te desbloquear, ficarei feliz.
Diferenças resolvidas fora do mundo virtual. =)

Athos disse...

Que legal. Muito interessante seu devaneio. Excluindo essa reflexão sobre o filme, que eu ainda não vi, eu também já me senti feliz por esse motivo.
Até logo !