segunda-feira, maio 28, 2007

A Arte de Ter Razão


Há pouco voltei da peça de título acima, inspirada no manual de trapaça retórica escrito pelo filósofo Arthur Schopenhauer. Um ranzinza misantropo de primeira grandeza, o velho Schop escreveu o livro ainda nos tempos de estudante, sob o título de "Dialética Erística", compilando 38 "estratagemas" capazes de fazer uma platéia desatenta e/ou inculta "dar razão" ao seu usuário a despeito da real consistência de sua tese. Muitas vezes recorrendo a variações de falácias conhecidas, mas também apresentando golpes baixos de outra natureza, o livro recebeu, inicialmente, uma edição comentada por ninguém menos que Olavo de Carvalho, um ás do vale-tudo discursivo e do mau-humor filosófico.

A peça é divertida, consistindo basicamente em uma disputa entre vizinhos que recorrem, cada qual ao seu modo, a vários dos truques schopenhauerianos para tentar levar a melhor sobre o oponente. Dito assim, pode parecer uma encenação didática, mas, na verdade, é uma comédia bastante divertida, com atores representando diferentes aspectos e versões do mesmo personagem e um considerável dinamismo cenográfico. Encenada na pequenina Casa da Gávea -- pequenina mesmo, com a platéia espremida numa pequena sala enquanto aguardava a abertura do teatro porpriamente dito --, A Arte de Ter Razão pode não ser brilhante, mas é um programa original e leve, que merece ser visto. E uma boa pedida é depois ler o livro original, pois sem dúvida a peça deixará os que não o conhecem bastante curiosos.

De quebra, conheci uma blogueira de certo renome. Bem, confesso que nunca ouvira falar dela até o momento em que uma amiga que me acompanhava descobriu quem era a moça bonita que se espremia conosco à porta do teatro. Visitando o seu site, reconheço que a fama tem sua justiça. Então, meus caros cinco leitores, eis que vos apresento Mônica Montone, do blog Fina Flor! [Som de aplausos em massa, por favor.]


3 comentários:

Mônica Montone disse...

Oi, Rodrigo, a Jaque me disse que tinha rabiscado aqui umas coisas sobre nosso encontro [que achei o máximo da feliz coincidência].

Poxa, obrigada pelo carinho, mas ó, não sei se sou blogueira de renome, não, viu? rs*

kkkkkkkkkk

Vamos trocar links e nos mater em contato :o)

beijocas e boa semana,

MM

Estava Perdida no Mar disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
palasatena disse...

Por demais interessante... este livro tem um título que sempre me faz ter o livro nas mãos... mas não o levei ainda. Fiquei curiosa com esta peça, espero que um dia venho para "as bandas de cá". :)
Encontrei o Blog Fina Flor de uma forma muito inusitada... procurava um certo gato preto.
Ainda não pude me deter em sua leitura, mas 2008 me aguarda.