quinta-feira, dezembro 27, 2007

Para um amigo

Nós te cobrimos, rosto amado,
Não por estarmos de ti fatigados,
Mas porque cansaste de nós;
Lembra, enquanto partes,

Que te seguimos
Até que nos percebas - não mais -
E retornaremos então, relutantes,
Para sempre relembrar-te.

E denunciar o insuficiente amor
Que nos bastava demonstrar-te -
Amor tão mais imenso, agora,
Se quiseras aceitá-lo.


Emily Dickinson

Um comentário:

ELAINE disse...

Qeu poesia linda!! Linda mas um pouco triste. Me pareceu um arrependimento por nunca ter dito EU TE AMO. Arrepemdimento que já não pode ser remediado e, assim sendo "doerá" para sempre.Triste sina! Lindo poema!