domingo, junho 12, 2005

Dia dos Namorados



Orazio Gentileschi, "Cupido e Psiquê" (1628-1630)


Neste dia nacional do Cupido, minha principal tarefa deveria continuar lendo a interessantíssima autobiografia de Gandhi e produzir alguma coisa próxima de um post decente para Os Progressistas. Afinal, não faço parte da trupe que fez a alegria dos comerciantes nos últimos dias e fará a dos moteleiros hoje. Entretanto, não se pode negar que a data, como é típico nas festas comerciais, adquiriu uma notável onipresença. Há mais corações e fotos osculatórias por metro quadrado neste junho de 2005 do que em toda a história do romantismo no século XIX. Também pudera: o amor romântico é um dos grandes temas de nossa cultura. E continua sendo, apesar de o estarmos maltratando cada vez mais. Sinal de uma possível mudança de padrão? Quem sabe... De qualquer forma, não foi surpresa encontrar este artigo de Carla Rodrigues tratando do assunto no site no mínimo.

Mais um livro para a lista...

Um comentário:

Palasatena disse...

Aqui não apareceu a foto do Cupido com a Psique... Pena! Guardo um grande carinho por este mito e o significado da elevação da alma humana não ao Olimpo, mas a si mesma, o maior dos infinitos.