sábado, setembro 27, 2008

Aromas

Não gosto de perfumes. Melhor dizendo, não gosto de usá-los, embora não me importe de senti-los em algumas ocasiões especiais -- as fragrâncias femininas quase sempre são bem mais agradáveis. No entanto, normalmente sigo a máxima de Montaigne que diz, "O melhor cheiro é não ter cheiro nenhum". Verdade que ele escreveu isso em fins do século XVI, quando as condições sanitárias e de higiene pessoal na Europa não eram muito exemplares. Porém, mesmo hoje, quando nos habituamos a sair limpinhos e cheirosos de nossos banhos diários (e como esquecemos o privilégio que é ter pelo menos um banho por dia!), a variedade de aromas artificiais usados para causar boa impressão é não raro impressionantemente limitada. Confesso, de minha parte, que nunca senti muita diferença entre os perfumes masculinos no mercado -- com sua notória carga de álcool, como se masculinidade e cheiro de nebulizador tivessem alguma relação. Penso até que uma parte deles, geralmente a mais popular e financeiramente acessível, deveria ser proibida em prol da saúde pública, pois os tipos que empesteiam ambientes fechados e inevitáveis, como ônibus e elevadores, são verdadeiro indutores de náusea. Quem não se contenta com o próprio aroma, que também não busque, para melhorá-lo, essas torturas engarrafadas que se passam por perfumes.

Dito isso, os meus poucos leitores podem imaginar o prazer que me adveio da descoberta de um perfumista que, se não é um montaigniano, o que arruinaria seu negócio, também entendeu um pouco o drama de pessoas nada encantadas com os perfumes comuns. Afinal, quem mais poderia conceber um perfume de "interior de biblioteca" ou de "pavimento molhado"? Será o início de uma revolução estética? Seja como for, três vivas para Christopher Brosius!



4 comentários:

Cecília Alves disse...

Perfumes são como poesias que evocam estilos pessoais e sentimentos por vezes ocultos. Também são experimentos científicos, pois englobam fórmulas de ingredientes que sozinhos não produziriam efeitos mágicos e transformadores.

Estava Perdida no Mar disse...

Perfume é como maquiagem. Depende de para que fim vc usa. Maquiagem pode ser para relaçãr a beleza ou para esconder a feiura. Perfume pode ser apenas para nos realçar perante os demais presentes...Ou para esconder nosso odor insuportável. Tem gente q não tem cheiro de nada. Nem de pele.
Deveriam inventar um perfume com cheiro de terra molhada depois de chuvas de verão.

Elaine disse...

Deveriam inventar uma maneira de se perpetuar em um frasco o cheirinho gostoso dos nossos filhos quando eles são bebezinhos.
Tem cheirinho melhor do que o cheirinho dos bebês?
Quem ainda tiver seus filhotes bebezinhos aproveite para cheirá-los, principalmente enquanto dormem. É inesquecível!
Que saudades do meu bebezinho, que já vai fazer 18 anos!!

Maria Rita disse...

Não sei se concordo com o que escreveu sobre os perfumes das mulheres serem melhores. São, na maioria das vezes, muito "doces", fortes. Mas doce ou cítrico, francês ou de fundo de quintal, nada como o bom senso para quanto e quando usá-lo (de preferência um que não contenha "notória carda de álcool").