segunda-feira, janeiro 28, 2008

Quase sempre, por aqui, eu me preocupo com temáticas essencialmente laicas, ainda quando de cunho mais filosófico. Simplesmente porque, sendo o blog público, procuro alimentá-lo com temas que interessem a uma maioria seleta de pessoas. Porém, por um acaso, deparei-me anteontem com o texto abaixo e achei-o sublime. Sim, a linguagem pode soar demasiado mística para alguns, que ainda poderão objetar que se pode fazer uma leitura demasiado "conformista" da mensagem etc. Bem, creio que essa seria uma leitura muito superficial e injusta, para não dizê-la fruto de uma sociedade que perde a capacidade de entender uma visão mais espiritual do mundo. Mas, como já disse alguém muito respeitável, "quem tiver ouvidos ouvir, que ouça".

---------
CADA QUAL

Livro: Fonte Viva

Psicografia: Francisco Cândido Xavier


"Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo."
- Paulo (I Coríntios, 12:4)


Em todos os lugares e posições, cada qual pode revelar qualidades divinas para a edificação de quantos com ele convivem.

Aprender e ensinar constituem tarefas de cada hora, para que colaboremos no engrandecimento do tesouro comum de sabedoria e de amor.

Quem administra, mais freqüentemente pode expressar a justiça e a magnanimidade.

Quem obedece, dispõe de recursos mais amplos para demonstrar o dever bem cumprido.

O rico, mais que os outros, pode multiplicar o trabalho e dividir as bênçãos.

O pobre, com mais largueza, pode amealhar a fortuna da esperança e da dignidade.

O forte, mais facilmente, pode ser generoso, a todo instante.

O fraco, sem maiores embaraços, pode mostrar-se humilde, em quaisquer ocasiões.

O sábio, com dilatados cabedais, pode ajudar a todos, renovando o pensamento geral para o bem.

O aprendiz, com oportunidades multiplicadas, pode distribuir sempre a riqueza da boa-vontade.

O são, comumente, pode projetar a caridade em todas as direções.

O doente, com mais segurança, pode plasmar as lições da paciência e do ânimo geral.

Os dons diferem, a inteligência se caracteriza por diversos graus, o merecimento apresenta valores múltiplos, a capacidade é fruto do esforço de cada um, mas o Espírito Divino que sustenta as criaturas é substancialmente o mesmo.

Todos somos suscetíveis de realizar muito, na esfera de trabalho em que nos encontramos.

Repara a posição em que te situas e atende aos imperativos do Infinito Bem. Coloca a Vontade Divina acima de teus desejos, e a Vontade Divina te aproveitará.


Emmanuel

2 comentários:

seguindoestrellas disse...

Inspirador... adorei ler isso.

Beijo,
G.


ps: o link do Wikipédia está dando erro, tentei abrir várias vezes.

Elaine disse...

No mesmo livro existem dois capítulos que valem muito a pena: ADMINISTRAÇÂO,pág. 177 e PELOS FRUTOS,pág.27.